quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Resenha O Filho de Netuno - Rick Riordan

Oi oi Gente!!
Quem apareceu? Eu mesma hahahaha

Hoje estou aqui para dar resenhar "O filho de Netuno", segundo livro da série Os Heróis do Olimpo de Rick Riordan. Então, como percebem, se é o segundo a possibilidade de haver spoilers é GRITANTE. Eu vou cuidar pra não ter tantos, mas a gente se empolga. Então já aviso: POSSIVELMENTE HAVERÁ SPOILERS DO PRIMEIRO LIVRO.

Bora lá?


Título: O filho de Netuno
Autor: Rick Riordan
Editora: Intrínseca
Ano: 2012
Páginas: 426

Sinopse: A vida de Percy Jackson é assim mesmo: uma grande bagunça de deuses e monstros que, na maioria das vezes, acaba em problemas. Filho de Poseidon, o deus do mar, um belo dia ele acorda de um longo sono e não sabe muito mais do que o seu próprio nome. Mesmo quando a loba Lupa lhe conta que ele é um semideus e o treina para lutar usando a caneta/espada que carrega no bolso, sua mente continua nebulosa. De alguma forma, Percy consegue chegar a um acampamento de semideuses, mas o lugar não o ajuda a recobrar qualquer lembrança. A única coisa que consegue recordar é outro nome: Annabeth.

Com seus novos amigos, Hazel e Frank, Percy descobre que o deus da morte, Tânatos, está aprisionado e que Gaia pretende reunir um exército de gigantes para dominar o mundo e reescrever as regras da vida e da morte. Juntos, os três embarcam em uma missão aparentemente impossível rumo ao Alasca, uma terra além do controle dos deuses, para cumprir seus papéis na misteriosa Profecia dos Sete. Se falharem, as consequências, é claro, serão desastrosas.


"Para o norte além dos Deuses,
a coroa da legião está. 
Caindo do gelo, o filho de Netuno se afogará..."



Como já citei na resenha de "O herói do Olimpo" (Quem não viu só clicar aqui ) os livros de Rick Riordan baseados na mitologia grega normalmente são norteados por uma profecia. A profecia de O filho de Netuno está incompleta mas já pensamos: Ué, um filho do Deus dos mares se afogando? Surpresas lhe aguardam jovem semideus iniciante!


Como todas as edições que já tive da Intrínseca, essa não seria diferente na excelente qualidade. Com um cheiro bem característico (sim eu cheiro as edições) somos apresentados a folhas amarelas, diagramação no tamanho perfeito e acabamentos maravilhosos. O ilustrador como sempre está de parabéns, nos surpreende com a arte da capa traduzindo a história do livro e nos contemplando com esse maravilhoso Percy Jackson segurando a Águia da Legião e surgindo do meio do gelo e das águas, num território em que os Deuses não tem poder. Alguém consegue prever pra onde Rick nos levou a se aventurar dessa vez?


Nesse livro, os capítulos são divididos entre Percy, Hazel e Hazel. Como ocorreu com Jason no primeiro livro, Percy acorda sem memória e a única coisa que consegue lembrar é um nome: Annabeth. Ele marcha para o acampamento Romano, passando por perengues e monstros que ele pode cortar com contracorrente mil vezes, as cinzas se reconstituem e revivem. Sem entender os jogos de Juno, ele é recebido por Hazel e Frank na entrada do acampamento e além de todas as provações, ainda precisa atravessar um rio não muito agradável carregando Juno nos braços, que a cada passo fica mais pesada.


No acampamento romano, ele percebe que os deuses que ele conhece são chamados por outro nome. Ele, filho de Poseidon, passa a ser filho de Netuno. Percy também percebe que seu pai não é muito venerado naquele lado do mundo. Ele prova sua coragem e ganha dois novos amigos: Frank e Hazel.


Tanto Frank quanto Hazel tem segredos a esconder e precisarão confiar um no outro para o sucesso da missão. Eles precisam rumar até a terra onde os deuses não tem poder, acompanhados de Percy Jackson, enfrentar monstros e gigantes pelo caminho e derrotar um dos filhos da mãe Terra. Com o folear das páginas, somos apresentados e cativados por esses dois, tao carismáticos e apaixonantes. Também temos uma visita especial e rápida do nosso semideus favorito do submundo: Nico, o filho de Hades. 


Também teremos um pedaço da profecia que nos guiará para o próximo livro recitado por alguém bem diferente e não, não será um oráculo!


A mitologia como sempre está rica. Somos apresentados a personagens novos, com histórias maravilhosas e uma riqueza sem limites de detalhes.  Li o livro em duas tardes e vou ser sincera que gostei muito mais do primeiro. Amo demais o Percy, mas pra mim não existe outro trio que não seja Percy - Annabeth - Grover. Fiquei muito chateada que meu sátiro favorito apareceu de maneira bem corrida por umas duas linhas e só, só pra avisar que estava procurando Percy. Mas em compensação teremos Tyson!


De qualquer forma, a escrita do Rick é única. Ele consegue mesclar a teoria chata e maçante com humor. Consegue deixar as lendas gregas e romanas atrativas demais e você sempre quer descobrir mais! Os personagens que ele cria para representar os mitos, são demais e extremamente cativantes. Tio Rick sambando na cara das inimigas. Dou 3,5 estrelas. 


Beijos :*



Nenhum comentário:

Postar um comentário

 renata massa